Aplicativos organizam de plantões a internação

aplicativos-para-cuidar-da-saude

Substituição de fichas manuais por prontuários eletrônicos, organização da escala de plantão, agendamentos de cirurgias, são apenas alguns exemplos de soluções criativas com uso de tecnologia no setor de saúde. Esse novo nicho de mercado reúne de startups a empresas mais consolidadas, com o objetivo comum de agilizar o atendimento nos processos médico-hospitalares e reduzir custos.

A economia de tempo e dinheiro é ainda mais crucial para enfrentar a escassez de recursos no setor público de saúde. A Pixeon, inaugurada em 2003, inicialmente desenvolvia softwares para a área de diagnóstico por imagem e aos poucos foi expandindo sua atuação. A grande aposta da companhia hoje é digitalizar e integrar toda a cadeia médica para aperfeiçoar os diagnósticos.

A empresa desenvolveu o Whizhealth, um programa de aceleração de startups da saúde tocado em conjunto com a aceleradora Gema Ventures. Na primeira edição, a startup Pega Plantão foi uma das escolhidas para receber consultoria. Criada em Campo Grande e hoje com sede comercial em São Paulo, a empresa nasceu com o propósito de desatar o nó das escalas de plantão.

O comandado é feito pelo gestor da equipe, que dispara as informações para todos. Alterações na escala ou necessidade de um funcionário para repor a falta de outra chega por meio de notificações em um aplicativo de celular. A startup ainda pode ser usada por grupos de médicos, como anestesistas, que geralmente prestam serviço para mais de uma instituição e precisam ajustar horários e dias de trabalho constantemente.