Benefícios do laudo à distância para a saúde

diagnostico-distancia-tecnologia

De acordo com um levantamento recente feito pelo IBGE, os pacientes da atenção básica de 52,9% das cidades brasileiras precisam fazer exames em outros municípios. A precária prestação de assistência à saúde em diversos pontos do território nacional impede milhões de cidadãos de tomarem cuidados preventivos de forma regular, bem como de terem acesso aos exames laboratoriais e de imagem necessários para diagnosticar patologias em seu estágio inicial, ainda em tempo de tratamento adequado. Com a disseminação da tecnologia em nuvem voltada para área da saúde, o armazenamento de imagens, prescrições, anamneses e demais registros clínicos é feito em um servidor remoto, fora da infraestrutura física do centro de diagnóstico. Isso permite que profissionais especializados, normalmente localizados nos grandes centros urbanos, possam emitir laudos para centros de diagnóstico, hospitais e setores de diagnóstico por imagem sediados em regiões mais afastadas, oferecendo prestação de assistência à saúde de excelência a um custo menor e sem que os cidadãos tenham que se deslocar de onde moram.

No dia a dia, podemos resumir as vantagens da adoção dos recursos em nuvem e dos softwares para a realização de laudos a distância como:

– Menor custo com infraestrutura;

– Aumento da qualidade na prestação de assistência à saúde;

– Maior velocidade na emissão de laudos e realização de diagnósticos;

– Redução de erros médicos;

– Mais praticidade aos profissionais de saúde;

– Segurança no acesso às informações, com senhas criptografadas e assinatura digital, por exemplo;

– Compartilhamento de situações clínicas complexas com outros profissionais de saúde, simulando os debates médicos na sala de reuniões da instituição;

– Dispensa de estações de trabalho para analisar exames, bastando para isso ter em mãos um smartphone ou tablet com acesso à internet;

– Acesso a uma assistência à saúde de excelência nas regiões mais afastadas do país, reduzindo distâncias geográficas.

Os dispositivos móveis vêm consolidando sua importância no acesso à internet no Brasil de tal forma que, recentemente, comprovou-se que o país alcançou a marca de 50% dos domicílios com acesso à rede. A mesma pesquisa revelou que 81,5 milhões de brasileiros navegam na internet pelo celular, o que mostra o poder da mobilidade no comportamento do novo perfil da população brasileira. Ainda há, entretanto, muito a ser feito por aqui. Um estudo já mostrou que apenas 15% dos hospitais, centros de diagnóstico e setores de diagnóstico por imagem brasileiros são informatizados. As instituições de saúde não podem ignorar essa revolução, trazendo para dentro de seus consultórios a transformação social que eclode do lado de fora. É preciso incorporar as inovações tecnológicas a favor da vida.