Gestação: prazos e coberturas do plano de saúde

Pregnant woman is enjoying nature

Quando se contrata um plano de saúde depois de engravidar, dificilmente o parto será coberto pelo convênio médico. Segundo as regras do setor de saúde suplementar, o prazo de carência para parto é de 300 dias. Nesse contexto, a operadora somente é obrigada a cobrir o procedimento se houver uma situação de urgência ou emergência.

A resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM) determina que as cesáreas a pedido só possam ser realizadas a partir da 39ª semana de gestação. Sendo assim, o conselho traduziu de forma clara a autonomia na escolha do parto, tentando humanizar essa relação. Hoje, a mulher pode expor, requerer, colocar suas vontades. Se escolher cesárea, terá de assinar um termo de consentimento que deverá ser esclarecido pelo seu médico. Esse por sua vez, tem autonomia de atender ou não a paciente, concordar ou não com o tratamento. Cabe a ele orientar a gestante para que ela realize suas escolhas mediante regras que já estão valendo.

Os bebês de pais com plano com obstetrícia têm direito automaticamente a 30 dias de cobertura médica. Os pais devem fazer a inclusão dentro desse prazo, com isenção de carência. Caso ultrapasse o período, o plano pode não aceitar a inclusão, principalmente se o bebê precisar de algum tratamento específico.