Pós-cesárea em mulheres obesas: como reduzir taxa de infecção de sítio cirúrgico

Pós-cesárea em mulheres obesas

A cesariana é um dos procedimentos cirúrgicos mais comuns realizados na atualidade. Em 2015, mais de um milhão de bebês nascidos nos Estados Unidos, que representam 32% de todos os nascimentos do país, vieram ao mundo por cesariana. E a cirurgia de cesárea é justamente um fator de risco para a ocorrência da infecção pós-parto, chegando a 20% em alguns estudos clínicos.

Diversos fatores podem ser associados ao desenvolvimento da infecção de sítio cirúrgico, como intervenção de emergência, início do trabalho de parto antes da cesariana, ruptura da membrana antes da cirurgia, tipo da incisão cirúrgica, duração do procedimento e obesidade da mulher, sendo este último um dos riscos mais comuns.

Mas há como reduzir a chance de ocorrer uma infecção de sítio cirúrgico em mulheres obesas no pós-parto? Será que a administração de antibióticos, como cefalexina e metronidazol profiláticos diminuem as taxas de infecção entre mulheres obesas após a cesariana?

As conclusões do estudo clínico realizado pelos médicos David Calfee e Amos Grunebaum, publicado na revista médica americana JAMA, é que existe uma diferença significativa entre o uso da cefalexina oral e do metronidazol profilático pós-cesariana em comparação ao placebo. O ensaio, randomizado entre 403 mulheres obesas, mostrou que a taxa de infecção no local cirúrgico nos 30 dias após a cesariana foi de 6% com cefalexina oral e metronidazol e 15% com placebo.

Com o estudo concluiu-se, então, que, para mulheres obesas submetidas à cesariana que receberam a profilaxia padrão de cefalosporina pré-operatória, um curso pós-operatório de cefalexina oral e metronidazol de 48 horas, em comparação com placebo, reduziu-se a taxa de infecção de sítio cirúrgico 30 dias após o parto. Ou seja, para prevenção infecção pós-cesariana entre mulheres obesas podem e devem ser utilizados os antibióticos analisados na pesquisa: as cefalexinas e o metronidazol.

Fonte: IBSP – Instituto Brasileiro para Segurança do Paciente.